Guia prático do uso de detergentes no processamento de material médico-odontológico​

Você já sabe qual detergente utilizar no processamento de seus materiais? ​

​Os materiais médico-odontológicos são confeccionados de modo que permitam repetidos ciclos de limpeza, preparo e desinfecção ou esterilização, e limpá-los adequadamente é um fator determinante para a efetividade do processamento. Muitas pessoas utilizam os produtos de maneira incorreta e acabam colocando a segurança do processo em risco ou desperdiçando instrumentos.​

​A limpeza corresponde à remoção física da sujidade (resíduos orgânicos e inorgânicos) acompanhada da redução dos microrganismos. Independentemente de o método para limpar ser manual ou automatizado, todos utilizam detergente como agente de limpeza. Trata-se de um produto que limpa por meio da diminuição da tensão superficial. Mas você sabe quais características ele deve ter para ser utilizado nessa etapa?​

​Requisitos dos detergentes​

Além de serem certificados e regularizados junto a Anvisa, eles precisam idealmente ser biodegradáveis, não abrasivos, atóxicos, além de ter pouca formação de espuma e ser eficientes na remoção de sujidades. ​

Esses produtos recebem uma classificação de acordo com seu pH. No processo, podemos utilizar soluções neutras enzimáticas ou não, ácidas ou alcalinas. Para selecionar o produto a ser utilizado, devemos levar em conta a quantidade de matéria orgânica e inorgânica impregnada nos materiais e o método escolhido. Sendo assim, preparamos este guia para te ajudar a escolher entre as opções disponíveis:​

Detergentes alcalinos​

​São indicados para utilização associada a uma limpeza automatizada, já que necessitam de temperatura mais alta para atingir bons níveis de ação. Atuam também na remoção de manchas dos instrumentos. 

Detergentes neutros não enzimáticos ​

​São recomendados para limpeza manual de materiais não críticos, com pouca quantidade de matéria orgânica. ​

Detergentes neutros enzimáticos​

​São largamente utilizados para limpeza de artigos por possuírem enzimas catalisadoras que facilitam a quebra de moléculas biológicas, o que favorece a remoção de matéria orgânica e a redução dos microrganismos. ​

Detergentes enzimáticos​

​Sugere-se o uso na remoção da matéria orgânica em curto prazo. Sua ação se dá por meio de enzimas que decompõem a matéria orgânica aderida aos artigos. É necessária fricção ao limpar, e os instrumentais não podem ficar imersos na solução de enzimático por muito tempo para evitar a formação de biofilme e prejuízos ao metal. ​

Lembramos que apenas um tipo de agente limpante deve ser utilizado em cada processamento, pois a combinação de produtos pode diminuir a eficácia da limpeza e propiciar a formação de produtos tóxicos. Também não se recomenda o uso de detergente doméstico nesse processo devido à espuma produzida e também à incerteza de que a formulação seja nociva aos paciente e aos materiais. ​

A Sispack é sua aliada nesse contexto. Possuímos soluções completas para te auxiliar a garantir a qualidade dos processos e a segurança de seus pacientes. Conheça já nossos produtos:

​Referência: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/162/pdf

Compartilhe esse artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Mais Conteúdo

Temos os melhores equipamentos e soluções
em Biossegurança.

Fale conosco!