Grupo de pesquisa brasileiro dá mais um passo rumo à cura para a hepatite C

Um novo composto, denominado AG-hecate, foi sintetizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Ele consiste na combinação de moléculas já existentes – método denominado bioconjugação – e é capaz de inibir a replicação do vírus da hepatite C em diversos estágios de seu ciclo, o que é uma vantagem, pois os agentes antivirais tradicionais atuam em alvos específicos, como a entrada do vírus nas células, a síntese do material genético e de proteínas ou a montagem e liberação de novas partículas virais.

Outra vantagem é sua seletividade, ou seja, ele ataca mais os vírus do que as células hospedeiras, representando, portanto, um potencial avanço à cura da doença.

Os pesquisadores agora buscam formas de diminuir sua toxicidade, uma vez que o composto apresenta pequena atividade nas hemácias. O objetivo do grupo é avançar nos testes da fase in vitro para iniciar a fase in vivo. Até que possa ser comercializado, estimam-se ainda mais oito anos de pesquisa.

O AG-hecate também é capaz de agir em bactérias, fungos e células cancerosas e tem potencial de ser usado também no tratamento dos vírus zika e da febre amarela, que apresentam ciclos replicativos semelhantes aos do vírus da hepatite C.

Identificado em 1989, o vírus da hepatite C (HCV) é transmitido principalmente pelo sangue. No Brasil, de 1999 a 2016 foram detectados 319.751 casos da doença, com mais de 25 mil mortes de 2000 a 2015.  

No Brasil, a estimativa de prevalência de hepatite C é de 1,38% entre as pessoas de 10 a 69 anos, segundo o Estudo de Prevalência de Base Populacional das Infecções pelos vírus das Hepatites A, B e C nas Capitais do Brasil (2010).

Dentre os maiores riscos de infecção estão a realização de tatuagens ou piercings e formas de exposição percutânea sem os cuidados adequados de biossegurança – como procedimentos odontológicos, podologia, manicure e pedicure. Por isso, é de extrema importância que, dentro dos serviços de saúde e de beleza, as etapas de limpeza, desinfecção e esterilização sejam cuidadosamente realizadas.

A Sispack conta com uma linha completa de equipamentos e insumos para a biossegurança como autoclaves, lavadoras ultrassônicas, embalagens e testes de monitoramento químico e biológico. Além disso, você pode também realizar um treinamento técnico sobre biossegurança gratuitamente. Fale com um de nossos representantes e conheça as nossas soluções.

Fonte:

http://giv.org.br/Arquivo/Folheto_GIV_HepatiteC_no_Brasil.pdf

Produto adicionado a lista de orçamento. Se preferir, faça seu pedido agora mesmo cliclando no link de Whatsapp.