Esterilização ou desinfecção de alto nível: e agora?

Se você é um profissional da área da saúde, conhece a rotina em ambientes clínicos e hospitalares. Sabemos que, para um bom funcionamento dos serviços, normas essenciais devem ser seguidas, entre elas, inúmeras normas de biossegurança.
 
A biossegurança garante que os serviços sejam prestados visando sempre manter a saúde e bem-estar de todos os envolvidos, evitando infecções cruzadas ou quaisquer tipos de contágios, tanto para pacientes quanto para os profissionais envolvidos.
 
Considerando o cenário atual, a recente pandemia por COVID-19, nunca esteve tão evidente a importância da desinfecção e esterilização de materiais para que o procedimento executado, seja em uma clínica, consultório ou hospital, ocorra sem prejuízos à saúde.
 
Mas você sabe a diferença entre esterilização e desinfecção de alto nível?
 
Segundo a RDC 15, a desinfecção de alto nível é um processo físico ou químico que destrói a maioria dos microrganismos de artigos semicríticos, inclusive micobactérias e fungos, não eliminando, porém, esporos. Tem como resultado o manuseio seguro, pelo profissional, do equipamento ou produto que se pretende utilizar durante o procedimento em questão. Sendo seu uso considerado seguro, o paciente também estará resguardado, diminuindo os riscos de infecção cruzada.
 
A desinfecção é uma manobra que deve ser aplicada em artigos semicríticos, o que engloba diversos materiais como: material respiratório, endoscópios, lâminas e cabos de laringoscópios e espéculos.
 
Os materiais críticos, por sua vez, devem sofrer esterilização. O processo de esterilização costuma ser mais eficiente, pois visa a eliminação de todas as formas de vida presentes nos materiais, como bactérias, fungos, vírus e, inclusive, esporos. A esterilização pode ser realizada através de processos químicos, físicos e físico-químicos, de acordo com o tipo e sua resistência ao vapor ou calor.

A esterilização física é feita através de autoclaves a vapor. Já a físico-química é realizada por vapor de peróxido de hidrogênio, gás óxido de etileno e vapor de formaldeído em esterilizadores destinados para esse fim. A desinfecção de alto nível é realizada com ácido peracético, glutaraldeído e ortoftalaldeído.

O que define se um item sofrerá desinfecção de alto nível ou esterilização é a sua classificação, e não a matéria-prima com que foi fabricado. Essa confusão é muito comum entre os profissionais de saúde. Os materiais críticos devem sofrer esterilização, ainda que sejam termossensíveis, neste caso sofrem esterilização físico-química.
 
A desinfecção de alto nível é um procedimento comum na rotina do profissional de saúde, diversos itens utilizados durante os atendimentos são classificados como semicríticos. Mas será que você está realizando a desinfecção deles da maneira adequada? Você conhece todos os desinfetantes e quais as suas aplicabilidades?
 
A Sispack conta com uma linha de produtos que tem a biossegurança como prioridade. Sabemos que a desinfecção de alto nível é um procedimento padrão para atender às normas de biossegurança. Pensando nisso, criamos um e-book exclusivo, em que você aprenderá mais sobre a desinfecção de alto nível e quais os procedimentos envolvidos, além da diferença entre desinfecção química e desinfecção física.

Ficou curioso? Acesse agora mesmo nosso e-book

Produto adicionado a lista de orçamento. Se preferir, faça seu pedido agora mesmo cliclando no link de Whatsapp.