Boas práticas para manejo da lavadora termodesinfetante

Com o aumento da complexidade do desenho dos instrumentos, há a necessidade de um processo de limpeza mais criterioso. Nesse cenário, as lavadoras termodesinfectadoras atendem a essa demanda na CME. Trata-se de uma máquina que limpa em altas temperaturas, matando os microrganismos presentes e garantindo o controle de doenças e de contaminações que podem ocorrer por meio do contato com esses materiais.​

Considerando a importância do equipamento, é necessário submete-lo a manutenção periódica por motivos de segurança. Todavia, observa-se que as lavadoras submetidas a manutenção têm sido liberadas para uso apenas com base nos valores indicados de temperatura e tempo, sem evidenciar sua eficácia na limpeza ou na termodesinfecção. Você sabe quais são os testes necessários para liberação dessas máquinas após intervenções técnicas?​

A liberação segura de lavadoras termodesinfectadoras após reparos técnicos inclui, além da avaliação da temperatura e do tempo do ciclo, a conferência do volume de detergente admitido durante a limpeza e a avaliação da eficácia desta com testes em associação às normas observadas durante a rotina de uso do equipamento.  ​

Conferindo o volume de detergente ​

Para observar se a diluição do detergente está bem calibrada, utiliza-se uma proveta graduada. Posicionamos esse instrumento na saída do dosador, dentro da lavadora, e acionamos o comando de dosagem. A quantidade de produto dentro da proveta representa a quantidade utilizada em cada ciclo. O resultado dessa ação deve ser comparado aos parâmetros preestabelecidos para o equipamento. ​

Avaliando a eficácia da limpeza ​

Para essa avaliação, precisamos programar um ciclo de limpeza e excluir as fases de termodesinfecção e secagem, testando a capacidade de limpeza com simulação de sujidade. Para monitorar essa etapa, utiliza-se um indicador de limpeza. Interpreta-se os resultados obtidos de acordo com as orientações do fabricante. ​

Avaliação da temperatura e do tempo do ciclo ​

Para confirmar se a termodesinfecção está ocorrendo, verifica-se se o tempo e a temperatura programados foram de fato atingidos. Além disso, também temos que checar rotineiramente algumas normas a serem cumpridas. Dentre essas normas, podemos citar as principais, que devem ser observados diariamente:​

  • Condutividade da água;​
  • Volume de detergente;​
  • Limpeza e fixação da grelha do reservatório de água dentro da câmara;​
  • Movimento das hastes de pulverização;​
  • Papel da impressora;​
  • Cartucho de tinta da impressora; ​
  • Vazamentos de água; ​
  • Inspeção visual da limpeza de todas as cargas.​

​Por fim, conclui-se que é preciso adotar um procedimento contínuo de testes para avaliar a operação das lavadoras termodesinfectadoras. Isso nos permite diagnosticar precocemente as falhas, trazendo mais controle e qualidade ao processo automatizado de limpeza e termodesinfecção. Os equipamentos submetidos a intervenção merecem atenção antes de seu uso na rotina, e a liberação segura do equipamento deve incluir principalmente a avaliação da eficácia da limpeza com testes que atendam à legislação da ANVISA.  ​

​A Sispack trabalha há mais de 36 anos para oferecer a você as melhores soluções em biossegurança! Nosso catálogo conta com diversos tipos de indicadores para te auxiliar nesse processo! ​

Compartilhe esse artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Mais Conteúdo

Temos os melhores equipamentos e soluções
em Biossegurança.

Fale conosco!